Brasil: Um país que não é de todos

sábado, dezembro 22, 2012


Cada vez mais estrangeiros escolhem cidades brasileiras para trabalhar e estudar

Com o aquecimento da economia cresce o número de imigrantes no país. Dados da pesquisa realizada pelo Ministério da Justiça no início de 2012 mostram que o fluxo imigratório tem um período de maior intensidade. O Brasil se tornou um dos países mais procurados por estrangeiros de diversos países interessados em aprender o português, trabalhar, estudar, empreender e conhecer a cultura brasileira.

A pesquisa comprovou através de um dado demográfico e social do Brasil, que o número de imigrantes em situação regular no território nacional acompanhados de seus cônjuges, saltou de 961.877 em dezembro de 2010 para 1,466 milhão em junho de 2011.
Houve um aumento de 52,4% em apenas seis meses a mesma proporção regeu o crescimento das naturalizações (1.056 para 2.116), enquanto a concessão de vistos de permanência teve um número significativo de 67% de 2009 para 2011.
Dados do Conselho de Imigração, em 2011 dizem que o Brasil concedeu 70.524 vistos de trabalho para estrangeiros. São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná são as capitais que concentram o maior número de estrangeiros no país, devido à força da economia dos estados.

Foto: Divulgação 
Segundo Virgílio Figueiredo, professor e coordenador especialista em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP), “a crise financeira mundial, aliada a grandes eventos que o país irá receber como a Copa do Mundo em 2014, as Olimpíadas em 2016, respectivamente e o fato do Brasil estar ocupando a sexta posição na economia mundial tem incentivado esse fluxo”.

Porém, não é tão fácil para os estrangeiros viverem no país tropical, ao contrário do que muitos pensam, o Brasil têm várias burocracias para que o imigrante possa se legalizar e permanecer no país.

“Apesar do Brasil ser conhecido como uma nação que recebe os estrangeiros de braços abertos, a realidade não é bem assim. A verdade é que muitos sofrem com a burocracia para conseguir o visto de permanência”, conclui Virgílio.

Os maiores desafios do Brasil dizem respeito à Lei de Imigração, mais conhecida como a Lei de Estrangeiros, criada em 1980, durante o período da ditadura militar, marcada pelos princípios vigentes do período. Durante anos a sociedade civil luta por mudanças, pautada nos Direitos Humanos, que correspondam às exigências de uma política imigratória coerente, que hoje mais do que nunca preocupam e demandam uma atenção particular. A lei diz que o estrangeiro é uma questão da segurança nacional.

Porém, existe um projeto com o propósito de mudar essa classificação que para o especialista em Relações Internacionais está ultrapassada, “o estrangeiro no Brasil sofre diversas dificuldades começando pelo policial federal que é o profissional que lida não só com o imigrante, mas com o estudante, o refugiado e o imigrante econômico”.

Foto: Divulgação - Estrangeiros querem conquistar direitos no Brasil

Virgílio afirma que o problema está nos órgãos que deveriam prestar apoio e esclarecimentos aos estrangeiros, que acabam terceirizando a mão de obra. “O policial federal é a única ponte, que auxilia o estrangeiro a se regularizar para permanecer no país, porém não possuem formação adequada no sentido de dar atenção aos direitos, não falam outro idioma muito menos o inglês básico, diferente dos policiais que na Europa obrigatoriamente falam três idiomas”.

Para a Advogada, Mariana Novaes Advogada do Centro de Apoio ao Imigrante (C.A.M.I.), os imigrantes não devem ser tratados como um problema de segurança nacional, pois são pessoas que escolheram morar em outro país, é um tema de direitos humanos.

  “Cada um tem o direito de ir e vir”, afirma Novaes. Além da mudança no tratamento dado pelo poder público, a advogada ressalta que parte dos brasileiros não aprovam a presença de estrangeiros em nosso país. Uma pesquisa desenvolvida pelo PENUJ, (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), em 2009, diz que mais de 46 % dos brasileiros são contra a vinda de imigrantes para o Brasil, justamente nós que somos um país que no passado recebeu tantos imigrantes”, conclui. 

Você sabia?
Em 2009 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou uma lei de anistia aos imigrantes em situação irregular no Brasil, que previa a legalização de estrangeiros. A lei permite ao estrangeiros a garantia de que circulem livremente em todo o território nacional, eles também poderão ter acesso ao trabalho remunerado, à educação, saúde pública e Justiça. Porém, ficarão impedidos apenas de votar e ingressar no serviço militar. 

Em 2012 quase 43 mil pessoas deram entrada na documentação exigida pela policia federal, sendo a maior parte bolivianos, peruanos e paraguaios.

Em forma de protesto a burocracia brasileira, anualmente acontece em São Paulo, no mês de dezembro a Marcha dos Imigrantes que é organizada pelo Centro de Apoio ao Imigrante (C.A.M.I) que  percorre a Praça da República com destino a Praça da Sé. O evento cresce a cada ano, em 2011 reuniu aproximadamente 2.000 estrangeiros de diversas nacionalidades, com o objetivo de reivindicação de uma sociedade igualitária e mais solidária, para os estrangeiros solicitando assim ao direito do voto nas eleições brasileiras.

Marcha do Imigrante realizada em São Paulo

A paraguaia Guadalupe Gonzáles de 47 anos está no Brasil há dez anos, para ela a sansão da lei não mudou muita coisa, “a burocracia brasileira continua a mesma, e toda vez que chega a polícia federal sempre exigem um novo documento”.

Para a imigrante a culpa é do Governo que complica a regularização dos estrangeiros no país. “Tenho dificuldades para conseguir emprego, muitas vezes sou tratada com preconceito. Quero me regularizar e ter direitos como os brasileiros inclusive do voto”.

Ao contrário de Guadalupe, o peruano Juan José Moyano Muñoz, de 26 anos, está há três anos legalizado em nosso país. Hoje Juan faz Doutorado no Centro Internacional de Pesquisas e Ensino (CIPE). O jovem afirma: “para quem está pensando largar seu país para viver em outro antes de tudo a pessoa deve se preparar, guardar dinheiro para não viver irregular”.

Juan José Moyano pretende construir sua carreira no Brasil

Já para a Dra. Silva Regina Rogatto, cientista e pesquisadora da UNESP de Botucatu, e do CIPE, e que ministra cursos de Mestrado e Doutorado à estrangeiros, diz que a procura para trabalhar e estudar no Brasil se deve a mudança no perfil dos mesmos.

“No passado a imigração era incentivada, basicamente os principais povos que vinham para o país eram da Europa e Japão, hoje são pessoas do mundo inteiro”, afirma. Para ela o turismo e os programas de intercâmbio incentivam o governo a rever algumas posições. “Acredito que o grande desafio atual para o país é a criação de uma política especifica para esses novos imigrantes que estão chegando.”

A mesma dificuldade que o estrangeiro encontra aqui, brasileiros também sofrem em solo estrangeiro, inclusive para turismo. Em abril deste ano vários compatriotas se queixaram de humilhações e discriminação por parte dos espanhóis em relação aos que tentavam ingressar em território espanhol. 


O Itamaraty em seu site (www.itamaraty.gov.br) afirma que cerca de 158,7 mil brasileiros vivem em território espanhol  e 900 mil por toda a  Europa, porém, o Brasil é visto pelo mundo como uma ilha de prosperidade.  Muitas coisas devem ser feitas e melhoradas, para que acordos bilaterais entre os países sejam realmente colocados em prática fazendo que o imigrante seja respeitado, e possa exercer direitos em qualquer lugar do mundo.

Comentários
18 Comentários

18 comentários:

Marco disse...

moro em cidade pequena e não vi diferança na questão de emprego.

Marília disse...

Alguns estrangeiros sofrem também com os que acham que todos que vem de fora são ricos e metem a faca nos preços das coisas. Isso é um absurdo, tenho um colega que venho da Inglaterra, ele né uma pessoa de classe média, veio pro Brasil trabalhar e por conta do clima, aonde ele vai sozinho as pessoas cobram a mais pelas coisas.

Yuusuke disse...

Na verdade no brasil esta muito mais caro de se viver aqui que na Europa ou Japão.
Retribuindo sua visita.
http://nipponpress.blogspot.com/2012/12/fenomeno-no-monte-fuji-atrai-fotografos.html

Yuu disse...

Brasil pais da pizza

Jeniffer Haddad disse...

Moro no Rio de Janeiro e vejo muito estrangeiro pegando lugar de brasileiro por aí. Sou contra a vinda exagerada.

Cafajeste Sedentário disse...

Brasil - um pais dos ricos
pais de merda,sou gaúcho e tenho mais orgulho do meu estado do que dessa porcaria de país.

Jac Bagis disse...

Ainda tem muita coisa a ser mudada no Brasil

Jacqueline disse...

Parabéns pelo blog!

Jacqueline disse...

Parabéns pelo blog!

O Brasil é país que está em grande desenvolvimento e concerteza tem oportunidades para todas as pessoas que querem querem crescer e ser um grande profissional.

Juan Dias disse...

Bem vindo ao Brasil caro amigo

Cícero Barbosa disse...

tbm já reparei nisso.

Se eles estão vindo no nosso país, nós temos q ir no país deles.

Aline disse...

Que texto interessante... Ótima sua abordagem... Em todo caso, o Brasil não é "país de todos" nem para o próprio brasileiro...

Jac Bagis disse...

muita coisa tem de ser mudada no Brasil e em 1º lugar a cabeça do povo q sempre vota nos mesmos

Aline disse...

Debate importante. Seu post ficou bem interessante.

Excelente post. Parabens pelo blog.

Fábio Flora disse...

O Brasil é de quem o conquistou desde que o mundo é mundo. Abraços e sucesso com o blog!

Followers