Brasil: Um país que não é de todos

sábado, dezembro 22, 2012


Cada vez mais estrangeiros escolhem cidades brasileiras para trabalhar e estudar

Com o aquecimento da economia cresce o número de imigrantes no país. Dados da pesquisa realizada pelo Ministério da Justiça no início de 2012 mostram que o fluxo imigratório tem um período de maior intensidade. O Brasil se tornou um dos países mais procurados por estrangeiros de diversos países interessados em aprender o português, trabalhar, estudar, empreender e conhecer a cultura brasileira.

A pesquisa comprovou através de um dado demográfico e social do Brasil, que o número de imigrantes em situação regular no território nacional acompanhados de seus cônjuges, saltou de 961.877 em dezembro de 2010 para 1,466 milhão em junho de 2011.
Houve um aumento de 52,4% em apenas seis meses a mesma proporção regeu o crescimento das naturalizações (1.056 para 2.116), enquanto a concessão de vistos de permanência teve um número significativo de 67% de 2009 para 2011.
Dados do Conselho de Imigração, em 2011 dizem que o Brasil concedeu 70.524 vistos de trabalho para estrangeiros. São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná são as capitais que concentram o maior número de estrangeiros no país, devido à força da economia dos estados.

Foto: Divulgação 
Segundo Virgílio Figueiredo, professor e coordenador especialista em Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (USP), “a crise financeira mundial, aliada a grandes eventos que o país irá receber como a Copa do Mundo em 2014, as Olimpíadas em 2016, respectivamente e o fato do Brasil estar ocupando a sexta posição na economia mundial tem incentivado esse fluxo”.

Porém, não é tão fácil para os estrangeiros viverem no país tropical, ao contrário do que muitos pensam, o Brasil têm várias burocracias para que o imigrante possa se legalizar e permanecer no país.

“Apesar do Brasil ser conhecido como uma nação que recebe os estrangeiros de braços abertos, a realidade não é bem assim. A verdade é que muitos sofrem com a burocracia para conseguir o visto de permanência”, conclui Virgílio.

Os maiores desafios do Brasil dizem respeito à Lei de Imigração, mais conhecida como a Lei de Estrangeiros, criada em 1980, durante o período da ditadura militar, marcada pelos princípios vigentes do período. Durante anos a sociedade civil luta por mudanças, pautada nos Direitos Humanos, que correspondam às exigências de uma política imigratória coerente, que hoje mais do que nunca preocupam e demandam uma atenção particular. A lei diz que o estrangeiro é uma questão da segurança nacional.

Porém, existe um projeto com o propósito de mudar essa classificação que para o especialista em Relações Internacionais está ultrapassada, “o estrangeiro no Brasil sofre diversas dificuldades começando pelo policial federal que é o profissional que lida não só com o imigrante, mas com o estudante, o refugiado e o imigrante econômico”.

Foto: Divulgação - Estrangeiros querem conquistar direitos no Brasil

Virgílio afirma que o problema está nos órgãos que deveriam prestar apoio e esclarecimentos aos estrangeiros, que acabam terceirizando a mão de obra. “O policial federal é a única ponte, que auxilia o estrangeiro a se regularizar para permanecer no país, porém não possuem formação adequada no sentido de dar atenção aos direitos, não falam outro idioma muito menos o inglês básico, diferente dos policiais que na Europa obrigatoriamente falam três idiomas”.

Para a Advogada, Mariana Novaes Advogada do Centro de Apoio ao Imigrante (C.A.M.I.), os imigrantes não devem ser tratados como um problema de segurança nacional, pois são pessoas que escolheram morar em outro país, é um tema de direitos humanos.

  “Cada um tem o direito de ir e vir”, afirma Novaes. Além da mudança no tratamento dado pelo poder público, a advogada ressalta que parte dos brasileiros não aprovam a presença de estrangeiros em nosso país. Uma pesquisa desenvolvida pelo PENUJ, (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), em 2009, diz que mais de 46 % dos brasileiros são contra a vinda de imigrantes para o Brasil, justamente nós que somos um país que no passado recebeu tantos imigrantes”, conclui. 

Você sabia?
Em 2009 o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou uma lei de anistia aos imigrantes em situação irregular no Brasil, que previa a legalização de estrangeiros. A lei permite ao estrangeiros a garantia de que circulem livremente em todo o território nacional, eles também poderão ter acesso ao trabalho remunerado, à educação, saúde pública e Justiça. Porém, ficarão impedidos apenas de votar e ingressar no serviço militar. 

Em 2012 quase 43 mil pessoas deram entrada na documentação exigida pela policia federal, sendo a maior parte bolivianos, peruanos e paraguaios.

Em forma de protesto a burocracia brasileira, anualmente acontece em São Paulo, no mês de dezembro a Marcha dos Imigrantes que é organizada pelo Centro de Apoio ao Imigrante (C.A.M.I) que  percorre a Praça da República com destino a Praça da Sé. O evento cresce a cada ano, em 2011 reuniu aproximadamente 2.000 estrangeiros de diversas nacionalidades, com o objetivo de reivindicação de uma sociedade igualitária e mais solidária, para os estrangeiros solicitando assim ao direito do voto nas eleições brasileiras.

Marcha do Imigrante realizada em São Paulo

A paraguaia Guadalupe Gonzáles de 47 anos está no Brasil há dez anos, para ela a sansão da lei não mudou muita coisa, “a burocracia brasileira continua a mesma, e toda vez que chega a polícia federal sempre exigem um novo documento”.

Para a imigrante a culpa é do Governo que complica a regularização dos estrangeiros no país. “Tenho dificuldades para conseguir emprego, muitas vezes sou tratada com preconceito. Quero me regularizar e ter direitos como os brasileiros inclusive do voto”.

Ao contrário de Guadalupe, o peruano Juan José Moyano Muñoz, de 26 anos, está há três anos legalizado em nosso país. Hoje Juan faz Doutorado no Centro Internacional de Pesquisas e Ensino (CIPE). O jovem afirma: “para quem está pensando largar seu país para viver em outro antes de tudo a pessoa deve se preparar, guardar dinheiro para não viver irregular”.

Juan José Moyano pretende construir sua carreira no Brasil

Já para a Dra. Silva Regina Rogatto, cientista e pesquisadora da UNESP de Botucatu, e do CIPE, e que ministra cursos de Mestrado e Doutorado à estrangeiros, diz que a procura para trabalhar e estudar no Brasil se deve a mudança no perfil dos mesmos.

“No passado a imigração era incentivada, basicamente os principais povos que vinham para o país eram da Europa e Japão, hoje são pessoas do mundo inteiro”, afirma. Para ela o turismo e os programas de intercâmbio incentivam o governo a rever algumas posições. “Acredito que o grande desafio atual para o país é a criação de uma política especifica para esses novos imigrantes que estão chegando.”

A mesma dificuldade que o estrangeiro encontra aqui, brasileiros também sofrem em solo estrangeiro, inclusive para turismo. Em abril deste ano vários compatriotas se queixaram de humilhações e discriminação por parte dos espanhóis em relação aos que tentavam ingressar em território espanhol. 


O Itamaraty em seu site (www.itamaraty.gov.br) afirma que cerca de 158,7 mil brasileiros vivem em território espanhol  e 900 mil por toda a  Europa, porém, o Brasil é visto pelo mundo como uma ilha de prosperidade.  Muitas coisas devem ser feitas e melhoradas, para que acordos bilaterais entre os países sejam realmente colocados em prática fazendo que o imigrante seja respeitado, e possa exercer direitos em qualquer lugar do mundo.
LEIA MAIS - Brasil: Um país que não é de todos

Churros de uma forma nunca vista

domingo, novembro 18, 2012


A Casa do Churro inova a gastronomia da cidade

Inaugurada em 1962, pelo espanhol Antonio Farré Martinez,  a Casa do Churro é um lugar curioso que atrai jovens, família e pessoas de diversas idade. No inicio da década, o local foi inaugurado no centro da cidade e hoje está Localizado a mais de 20 anos no bairro do Tatuapé na zona leste de São Paulo.

Casa dos Churro no Tatuapé

O cardápio possui diversas opções de preço e sabores como o churros salgados de frango, tomate seco, mussarela e bacalhau. Além dos tradicionais de doce de leite, e novidades como de goiaba, banana, beijinho que podem ser servidos com sorvete e o churros diet / light.

Antonio Farré Martinez, também criou a tradicional maçã do amor que é sucesso no mundo inteiro


 Porém a exclusividade da casa é o churros em roda que possui três metros originário da Espanha, o produto pode ser encontrado nas opções doce de leite, catupiry, chocolate granulado e romeu e julieta.

Churros em roda possui diversidades de sabores


Devido o sucesso da idéia em criar uma casa especializada em churros, o espanhol informou que está negociando a criação de franquias, e que a Universal Pictrues de Hollywood já o contatou e haverá uma franquia nos E.U.A.

 A casa do Churro fica na Rua Rodrigues Barbosa, 232, no Tatuapé e o telefone de contato é (11) 2671-7180.  




LEIA MAIS - Churros de uma forma nunca vista

Procura por intercâmbio aumenta entre brasileiros

quinta-feira, junho 07, 2012



O perfil de quem quer ter uma experiência internacional mudou, o fortalecimento da moeda brasileiro contribuiu para o aumento do intercâmbio


Trabalhar e estudar na Europa e America do norte, é o destino ideal para profissionais que querem aprender o inglês, e ganhar experiência internacional. A imagem do Brasil no mundo mudou com base na globalização, a economia brasileira cresceu, e com isso muitos países têm demonstrado a preocupação, em se divulgar em nosso país.

Em 2011, cerca de 365 mil brasileiros foram estudar no exterior, número que deve aumentar por volta de 50% em 2012. Os dados são da organização da tradicional feira de intercâmbio do Salão do Estudante, que aconteceu em São Paulo, nos dias 10/03 e 11/03. O evento reuniu instituições de mais de 30 países que ofereceram cursos de idiomas, high school, graduação, pós-graduação, extensão universitária, MBA e outros cursos, a diversos jovens e adultos que estavam presentes.

Estudantes brasileiros estão entre os que mais realizam intercâmbio

Ivam Baial e Renata Karasawa, são consultores da Intercultural (agência de turismo e intercâmbio),  reforçam a importância dos estudantes em procurar uma agência séria no segmento de intercâmbio. “Antes de fechar um pacote, o ideal é conhecer o tipo de programa oferecido, cada um possui diversas características, mas o importe é que a agência respeite a sua escolha”, conclui Baial. 

Ivam Baial  e Renata Karasawa da Intercultural

Gilberto Brandão é diretor da Canadá Study, que é uma agência focada e especializada em intercâmbio para o Canadá, afirma que para quem está interessado em estudar no país, hoje se tornou barato, pois a média de gastos é em torno de R$ 6.000,00.

Gilberto Brandão, diretor da Canadá Study

“O custo beneficio, do Canadá é o melhor que tem nos países de língua inglesa, contando a hospedagem em casa de família, com direito a três refeições, e estar fazendo um curso intensivo de 25 hs é uma boa oportunidade. Hoje em dia, viajar para qualquer estado brasileiro, com o propósito de ficar um mês, o casto chega até R$ 7.000,00 . Então para mim estudar fora não é um gasto, mas um investimento para a própria carreira.” relata o diretor.

A Irlanda é outro país que está de olho nos estudantes brasileiros, a “Marketing Executive” do Griffith College, Wendy Tapia esteve presente na feira do estudante, e afirma que para estudar em seu país não é necessário visto. Porem, assim que o estudante desembarcar na Irlanda é necessário se apresentar ao agente do “Serviço de Imigração”, no aeroporto e mostrar alguns documentos.
Wendy Tapia Marketing Executive, da Irlanda recruta estudantes para estudar em seu país

Se a permanência no país for superior a 90 dias, o aluno deve registrar-se no “Garda National Immigration Bureau” para obter permissão para ficar no país.

 “O país apresenta um custo de vida relativamente baixo, se comparado com o de outras nações européias, é permite trabalhar legalmente durante o período de estudos”, conclui Tapia. 

Para a professora universitária da FMU e socióloga,Patrícia Sheila M. Paixão, que, morou durante 10 anos em Londres, ela acredita que o aumento da demanda do brasileiros em querer  estudar em outro país, se dá devido o crescimento da economia e estabilização do câmbio.

 “Hoje o brasileiro tem a consciência de que é necessário ter uma experiência internacional, e isso para a imagem do Brasil é muito importante, pois teremos mais brasileiros com uma visão Internacional, que poderão estar no poder amanhã”, diz a socióloga. 

Luiza Rabelo estudante de 17 anos mora na Paraíba, fez intercâmbio de cinco meses no Canadá, afirma sua maior dificuldade foi à adaptação do idioma, ausência da família e se acostumar com a gastronomia país. A jovem ressalta que a importância de fazer intercâmbio, é muito além de apenas aprender o inglês.

“As experiências culturais que você adquire são de extrema importância, porem morando em outro país, isso proporciona o estudante valorizar mais o Brasil, nossa cultura. Qualquer pessoa que fizer intercâmbio vai entender o que quero dizer”, conclui Luiza.

Luiza Rabelo contou sua experiência  em estudar no Canadá 

 Um dos acordos diplomáticos firmados entre o Brasil e os E.U.A, assinado pelo  presidente Barack Obama, em  março de 2011 (quando esteve no Brasil),  é de cooperação prevendo intercâmbio entre os brasileiros e americanos. Isso incentivou  o número  de intercâmbistas  para o país.

 O governo brasileiro, pretende, realizar acordos semelhantes com outros países, porem antes de fazer um intercâmbio, é importante se programar e pesquisar muito antes de definir o destino,  ter cautela na hora de escolher para onde ir e como ir, é fundamental para evitar que um sonho se torne um pesadelo.

Se você está interessado em fazer intercâmbio procure uma agência séria conheça o endereço. Em São Paulo a Canadá Study  e a Intercultural são referências e possuem credibilidade.


Canadá Study
Rua Henri Dunat, 239 Chácara Santo Antonio – São Paulo
Telefone: 11-3628-1638

Intercultural
Av. Professor Noé de Azevdo, 208 12º  andar
Vila Mariana – São Paulo
Telefone: 11-5038-7616





LEIA MAIS - Procura por intercâmbio aumenta entre brasileiros

O lado oculto do cérebro

domingo, janeiro 22, 2012


As pessoas geralmente costumam crer que usamos no cotidiano apenas parte da capacidade cerebral e que se usassem mais e melhor poderiam adquirir poderes jamais vistos. Mas até que ponto isso pode ser verdadeiro? Será que ter um maior poder de concentração, maior memorização, agilidade, entre outras habilidades, seria essa melhor utilização do cérebro?

Ações como atravessar paredes, se tele-transportar ou poder se comunicar através do pensamento são idéias surreais que despertam a atenção de todos, e  faz muita gente acreditar que isso seria possível se utilizássemos 100% da capacidade do cérebro. 

Áreas de armazenagem de dados do cérebro


Durante anos a cinematografia produziu grandes sucessos de bilheterias, que despertou e tem despertado idéias, de como seria se existissem “mutantes”. Pessoas com poderes sobrenaturais controlados com a mente.

A neurologista especializada em neuropsicologia (que estuda a interface entre as estruturas anátomo-fisiológicas e o psiquismo humano), Dra. Elisabete Gomes diz que tudo isso é apenas um mito, que permaneceu durantes anos.

O cérebro está sempre ativo, mesmo em situações ociosas como quando estamos dormindo ou lendo um livro, a utilização da capacidade cerebral acontece da forma natural entre uma conversa com amigos, ou realizando uma atividade física.

Durante esse processo todas as áreas do cérebro são acionadas, mas não em todo o potencial, se esse fenômeno ocorresse, não seriamos super heróis e heroínas, mas conseguiríamos uma bela dor de cabeça.

“A capacidade mental estimulada em nosso cérebro possuem cerca de 1% gasto a mais que as outras que se encontra em repouso, com todas as áreas trabalhando isso ocasionariam um cansaço mental digno de inúmeros brancos na memória, conclui a médica”.

Não podemos esquecer que existem exceções, pois há pessoas que não tem todas as atividades cerebrais agindo na sua normalidade e essa falta de conexão entre determinados pontos desse órgão e do nosso corpo pode acabar apresentando dificuldades motoras, quando isso atinge o sistema nervoso, de memorização, entre outros.

Gomes esclarece que uma pessoa com funções cerebrais normais utilizam 100% do cérebro, ao longo de toda a vida. Porem o que muda de pessoa para outra não é a atividade geral nas regiões cerebrais, mas a maneira como as conexões entre determinados conjuntos de neurônios (células nervosas) vão sendo ativadas e fortalecidas. Essa estrutura dinâmica de conexões influi em processos como a memória e o aprendizado.

Há remédios que podem fazer o cérebro aumentar a capacidade de processamento e memorização, porém, já utilizamos as funções cerebrais de forma integral, pois esse órgão está sempre em atividade.

Estudos feitos com a ajuda de aparelhos de ressonância magnética ou de tomógrafos comprovam que não existe uma grande área de potencial oculto no cérebro humano, esses equipamentos conseguem medir o fluxo de sangue e nutrientes que passa pela massa de neurônios num ritmo que se aproxima do tempo real.

O resultado é que a circulação dessas substâncias, acompanhada pelos cientistas em monitores digitais, revela em detalhes quais pedaços do cérebro estão ativos. 

Abaixo você poderá visualizar e entender um pouco mais quais são, como são divididas e de que forma funcionam as partes do nosso cérebro:




LOBO FRONTAL: Habilidades motoras e voluntárias (incluindo a fala); funções cognitivas como percepção e juízo.

CÓRTEX MOTOR: Coordena a motricidade voluntária (movimentos de face, boca, braços, mãos, tronco, pernas e pés).

CÓRTEX SENSITIVO: Interpreta dados sensoriais; controla sensações de toque, pressão, dor, temperatura, vibração.

LOBO PARIETAL: Responsável pela sensibilidade somática (dor, temperatura, tato), orientação espacial e noção de profundidade.

LOBO OCCIPITAL: Recebe e processa informações visuais enviadas diretamente dos olhos.

ÁREA DE BROCA: Processa a linguagem por meio do controle dos músculos que criam os sons (boca, lábios e laringe).

LOBO TEMPORAL: Audição, compreensão da linguagem falada, olfato, memória, comportamento emotivo.

MEDULA OBLONGA: Respiração, batimento cardíaco e quase todas as demais funções involuntárias do corpo humano.

CEREBELO: Manutenção do equilíbrio e da postura corporal; controle de movimentos voluntários; aprendizagem motora (andar, correr, pular).

ÁREA DE WERNICKE: Compreensão de informações sensoriais - visuais e auditivas - associadas à linguagem.

A partir disso, podemos notar que o cérebro é um órgão que funciona de forma integrada, conectada e que cada parte dele tem funções diferentes que utilizamos na sua totalidade no nosso cotidiano.

A cada ação do ser humano, das mais simples até as mais complexas, esse órgão estabelece ações e reações, fazendo cada ser humano ser diferente e fantástico, conseguindo manter esse tipo de duvida nas nossas mentes e fazendo com que os cientistas estejam sempre buscando novas descobertas.

LEIA MAIS - O lado oculto do cérebro

Followers